Consultório (19) 3231-1954 / 3231-2886 / 3234-9915 contato@marianazorron.com.br
img_mz_garrafas

Desreguladores endócrinos

Você sabe o que são desreguladores/disruptores endócrinos, onde são encontrados e como eles podem afetar a sua vida?

Os desreguladores endócrinos são substâncias, naturais ou produzidas pelo homem, que podem interferir com o sistema endócrino produzindo efeitos na reprodução, funções neurológicas e imunológicas em seres humanos e animais.

Uma grande variedade dessas substâncias podem ser encontradas em muitos produtos da vida cotidiana como garrafas plásticas, latas de alimentos de metal, detergentes, alimentos em geral, brinquedos, cosméticos e pesticidas. Abaixo listamos algumas dessas substâncias:

  • Ftalato é um produto químico muito utilizado como plastificante na fabricação de vinil flexível que, por sua vez, é usado em revestimentos de piso/parede, dispositivos médicos, produtos de cuidados pessoais (por ex. perfumes, loções, cosméticos), uma vasta variedade de embalagens de alimentos, produtos infantis, solventes e plastificantes para o acetato de celulose, lacas, vernizes, e revestimentos.
  • Fitoestrogênios são substâncias que ocorrem naturalmente nas plantas que têm atividade hormonal-símile. Exemplos de fitoestrogénios são a genisteína e daidzeína, que pode ser encontradas em produtos derivados da soja.
  • Bisfenol A (BPA) é um produto químico utilizado na produção de plásticos, policarbonato e resinas epoxy (ex.: potes de plásticos e mamadeiras). Tem efeitos sobre o cérebro, o comportamento e a próstata em fetos, bebês e crianças. Um estudo de 2008 do CDC (Center for Disease Control and Prevention) demonstrou que 92,6% de 2.500 americanos estudados possuíam níveis de BPA detectáveis na urina, sendo estes maiores em crianças e adolescentes do que em adultos.
Pesquisas mostram que os desreguladores endócrinos podem apresentar maior risco durante o desenvolvimento pré e pós-natal quando os órgãos e sistemas neurais ainda estão em formação; porém seus efeitos podem não ser aparentes até um período mais tardio da vida.

A exposição a esses desreguladores endócrinos pode ocorrer através da água, ar, alimentos, contato com solo e com a pele. Muitas destas substâncias não se deterioram facilmente, não podem ser metabolizadas, ou quando metabolizadas são divididas em compostos mais tóxicos do que a molécula mãe.

Mesmo substâncias que foram proibidas há décadas permanecem em níveis elevados no ambiente. img_mz_bpafree

Alguns desreguladores endócrinos são detectáveis a distâncias remotas devido a correntes de água, de ar e via animais migratórios.

Outros, como o BPA, podem não ser tão persistentes, mas seu uso é tão comum, que existe uma exposição humana prevalente.

Além disso, os diversos efeitos desses desreguladores endócrinos podem ser aditivos ou até mesmo sinérgicos.
Mesmo níveis infinitamente baixos de exposição podem causar anormalidades endócrinas ou reprodutivas, particularmente se a exposição ocorre durante aquele período de desenvolvimento crítico (pré e pós-natal). Pessoas que trabalham com pesticidas, fungicidas e produtos químicos industriais têm risco particularmente elevado para essa exposição.

Alguns dos possíveis efeitos causados são:

  • Redução na fertilidade;
  • Diminuição no número de homens nascidos;
  • Mulheres: puberdade e menopausa precoces;
  • Aumento nos cânceres de mama, ovário e próstata;
  • Aumento de doenças auto-imunes;
  • Aumento de algumas doenças neurodegenerativas;
  • Predisposição à gravidez ectópica, endometriose, miomas uterinos;
  • Parecem haver efeitos relacionados à obesidade e diabetes, porém esses resultados são preliminares e em modelos animais.

Uma pesquisa da NIEHS (National Institute of Enviromental Health Sciences – NIH) demonstraram que os efeitos adversos em ratos podem ser transmitidos para as gerações futuras.

Embora as evidências ainda sejam limitadas e em investigação, dados que se acumulam estão apontando para o potencial papel direto ou indireto dos desreguladores endócrinos na causa/colaboração de diversas doenças e epidemias do mundo moderno.

Na ausência de informações a respeito, o princípio da precaução é fundamental para melhorar nossa saúde reprodutiva e endócrina.

As Sociedades de Endocrinologia buscam ativamente uma regulação para diminuir a exposição humana a muitos desses desreguladores endócrinos.

Referências Bibliográficas:

1. Endocrine-Disrupting Chemicals: An Endocrine Society Scientific Statement, Endocrine Reviews, June 2009, 30(4):293–342

2. http://www.niehs.nih.gov/health/topics/agents/endocrine/

3. Endocrine disrupters: a review of some surces, effects and mechanisms of actions on behavior and neuroendocrine systems. J Neuroendocrinol . 2012 January ; 24(1): 144–159. doi:10.1111/j.1365-2826.2011.02229.x.